A luta hercúlea pelo poder por trás do Papa Bento XVI

No mês passado, Seewald revelou que o Papa Bento XVI havia decidido dirigir-se ao mundo e encerrar qualquer controvérsia sobre o que ele fez em Fevereiro de 2013, deixando para a posteridade – após sua morte – um testamento espiritual.

Essa admissão explosiva foi a causa de muita especulação em Roma.

Pois é sabido que um Papa tem o poder de nomear seu sucessor, alterar as leis para a eleição de um sucessor ou fazer qualquer tipo de outras mudanças profundas nesse documento.

Onde o documento está guardado? Com um íntimo confiante? Em Roma?

A especulação girou em torno de duas possibilidades.

Primeiro, que o documento está oculto em seu escritório, no Mosteiro de Mater Ecclesiae, no coração dos Jardins do Vaticano.

Segundo, que ele havia confiado o documento a seu irmão George Ratzinger.

Agora que finalmente o Papa pôde deixar Roma em uma viagem no passado dia 18 de Junho, dizem as notícias que foi visitar precisamente o seu irmão, que se encontra muito doente, seus escritórios agora estão livres para serem revistados e procurarem pelo documento.

Sabemos também que nos últimos sete anos, o Vaticano vive falsificando muitos documentos: desde as traduções do Acto de Declaração de 11 de Fevereiro de 2013, que foi conhecido no ano passado, às cartas pessoais do Romano Pontífice sobre diversos temas. Podemos realmente encontrar alguma dificuldade em supor que se realmente Bento XVI foi ver o irmão ou se o Vaticano o obrigou a ir a fim de trazer aquele documento e forjar uma cópia que elogiará Bergoglio profusamente após a morte do Papa Bento?

Ou Bento XVI foi a Regensburg para recuperar o documento de seu irmão?

O vice-comandante da Polícia do Vaticano em Regensburg tem o objectivo de descobrir a existência de um documento desse tipo e relatar seu conteúdo ao Vaticano?

Essas são algumas das questões mais profundas que devem ser levantadas sobre a viagem do Papa à Alemanha.

Outras questões permanecem:

        1. Por que a Diocese de Regensburg diz que a visita do Papa Bento XVI é privada, se ele não é o Papa?
        2. O Papa viajou com passaporte do Vaticano ou alemão. Se estiver no passaporte do Vaticano, então, como membro da equipe do Secretário de Estado – improvável – ou como chefe de Estado – significa que ele ainda é o Papa.
        3. Por que a República da Itália o levou de avião militar para a Alemanha? Essa é uma honra concedida apenas ao Chefe de Estado do Vaticano.
        4. Por que o Papa Bento XVI recorreu a Gianni, o chefe demitido da Polícia do Vaticano – agora trabalhando para a Inteligência Secreta Italiana – para organizar sua fuga de Roma? Gianni foi repreendido por Bergoglio e forçado a assinar uma declaração declarando Bergoglio “Sucessor de São Pedro”. A escolha de Gianni indica que Bento se voltou para alguém que reconhece que ele, não Bergoglio, ainda é o Papa, ou pelo menos para alguém não corrompido por Bergoglio.
        5. O que será da biblioteca e dos documentos particulares do papa Bento XVI?

 

São muitas perguntas que o tempo se encarregará de responder. 

Entretanto ao escrever este artigo verifiquei que há notícias de que o Papa Bento XVI faz hoje segunda feira dia 22 de Junho, o seu regresso ao Vaticano. 

Vamos aguardar pelos próximos capítulos.

Siga e goste de nós:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *