Ir para a barra de ferramentas

MILAGRE!!! A gripe desapareceu!

Cadê a gripe?

Sumiu. Literalmente. Desapareceu como neblina ao sol. Talvez pela primeira vez na hist√≥ria do Homem, os v√≠rus da gripe j√° n√£o est√£o entre n√≥s, abandonaram a nossa esp√©cie. E tudo de forma espont√Ęnea: nada de vacinas, nada de nada.

Trata-se dum evento provavelmente √ļnico que mereceria o estudo de legi√Ķes de microbi√≥logos, n√£o estivessem todos ocupados com a terr√≠vel Covid. Porque a fonte √© da m√°xima confian√ßa: a OMS, a Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde.

Nestas páginas já tínhamos tratado do assunto, mas agora a OMS disponibiliza novos instrumentos que apresentam o fenómeno duma forma mais exaustiva.

Na p√°gina¬†Influenza¬†est√£o dispon√≠veis os gr√°ficos pormenorizados relativos √† circula√ß√£o global do v√≠rus, mais informa√ß√Ķes detalhadas n√£o apenas acerca do planeta todo e dos hemisf√©rios mas at√© dos v√°rios Pa√≠ses. Vamos ver.

A primeira imagem √© relativa √† circula√ß√£o global e tem o t√≠tulo de “N√ļmero de esp√©cimes positivos para a gripe por subtipo”:

Gripe no Mundo em 2020

O que aqui interessa sobretudo s√£o dois aspectos: a tend√™ncia da “onda” ao longo do tempo (o ano de 2020) e o tipo de v√≠rus em circula√ß√£o. No come√ßo do ano havia oito subtipos de v√≠rus gripais: para ser mais precisos, 7 subtipos identificados mais outro grupo que recolhia os subtipos n√£o identificados.

Como √© poss√≠vel observar, a “onda” atinge o m√°ximo durante a 5¬™ semana (27 de Janeiro – 02 de Fevereiro) para depois descer at√© o desaparecer por completo na 17¬™ semana (20 Abril – 26 Abril).

Podemos fazer uma comparação com o que se passou em 2019:

Gripe no Mundo em 2019

A diferen√ßa √© evidente: ao longo do ano de 2019 nunca houve um completo “desaparecimento” do v√≠rus da gripe. E podemos fazer mais: podemos verificar a situa√ß√£o ao longo dos anos anteriores, por exemplo uma d√©cada (2009 – 2019):

Gripe no Mundo entre 2009 e 2019

Nunca desde 2009 e 2019 houve um ano no qual todos os subtipos de gripe desaparecessem. O ano durante o qual a circulação atingiu o mínimo foi o de 2011 (nomeadamente na 20ª semana: a primeira metade de Maio), mas também aqui sempre houve vários subtipos em circulação:

Gripe no Mundo em 2011

Pelo que, 2020 é um ano absolutamente excepcional, o primeiro onde todos os vírus da gripe desaparecem por completo, ao mesmo tempo. E tal excepcionalidade atinge qualquer País, não apenas alguns.

Eis, por exemplo, a circulação da gripe no Hemisfério Norte do planeta ao longo do presente ano:

Gripe em 2020 no Hemisfério Norte

Após a 16ª semana (13 Abril Р19 Abril) todos os subtipos virais sumiram a Norte do Equador. E no Hemisfério Sul?

Gripe em 2020 no Hemisfério Sul

Aqui temos um “quase desaparecimento” ap√≥s a 18¬™ semana (27 Abril – 03 Maio): depois h√° rastos limiares (e sempre inferiores aos m√≠nimos dos dez anos anteriores) at√© a 46¬™ semana (02 Novembro – 08 Novembro), data ap√≥s a qual tamb√©m no Hemisf√©rio Sul a gripe desaparece por completo.

A coisa estranha, repito, √© que este “desaparecimento” aconteceu em simult√Ęneo em todos os pontos do planeta e interessou todos os subtipos virais. Vamos ver a situa√ß√£o em Portugal:

Gripe em 2020 em Portugal

Em Italia, um dos Países mais afectados na primeira vaga:

Gripe em 2020 em Italia

Em Espanha, outro dos Países mais afectados durante a primeira vaga:

Gripe em 2020 em Espanha

Nos Estados Unidos, o País mais afectado em absoluto:

Gripe em 2020 nos Estados Unidos de América

O caso do Brasil:

Gripe em 2020 no Brasil

O Brasil segue a tend√™ncia do Hemisf√©rio Sul, com um pico de gripe por volta de Mar√ßo, uma queda abrupta no final de Abril (18¬™ semana) e o completo desaparecimento que acontece na semana n√ļmero 32 (03 Agosto – 09 Agosto). Depois desta data j√° n√£o h√° qualquer forma de gripe no Pa√≠s, de nenhum subtipo.

E na China? Afinal tudo tinha começado aí.

Gripe em 2020 na China

De facto, o pico da gripe é atingido ligeiramente mais cedo (já na segunda semana de 2020: 06 Janeiro Р12 Janeiro) para desaparecer após a 13ª semana. Mas, no geral, também a China reflecte a o andamento de todo o Hemisfério Norte.

Para completar a pesquisa, decidi observar os gráficos de numerosos outros Países, tanto do Hemisfério Norte quanto do Sul: não reporto aqui os gráfico todos para não aborrecer o Leitor, pois de facto seguem todos a mesma tendência. No caso, o Leitor pode seguir este link, escolher a opção By country, area or territory Рpast 12 months; na nova página escolher o País da lista à esquerda e clicar em Display Report. Muito simples.

“Todos a mesma tend√™ncia”? Ser√° mesmo que em todos os Pa√≠ses do Mundo os v√°rios subtipos da gripe desapareceram por completo? Bom, na verdade h√° umas pequenas diferencias: h√° uns Pa√≠ses onde o v√≠rus da gripe n√£o desapareceu por completo. Exemplos: Vietname, Laos, Cambodja, Tanz√Ęnia, N√≠ger, Tail√Ęndia, Timor Leste…

Vamos observar o caso do Vietname:

Gripe em 2020 no Vietname

Este grupo de Países apresenta uma característica fundamental: são exactamente aqueles Países com a menor incidência de Covid-19 segundo a classificação mundial (que é visível com dados em tempo real na página WorldOMeter). Portanto:

  • onde h√° mais Covid, o v√≠rus da gripe desaparece;
  • onde h√° menos Covid, o v√≠rus da gripe continua presente.

Curioso, sem d√ļvida. Para n√£o dizer “imposs√≠vel”: o v√≠rus da Covid n√£o √© um antagonista do v√≠rus da gripe, n√£o h√° por aqui um v√≠rus “mais forte” que elimina os restantes,n√£o √© assim que funciona. Covid e gripe sazonal podem tranquilamente coexistir. E, de facto, segundo os dados da OMS na primeira parte do ano coexistiram.

Mas o v√≠rus da gripe, nas suas variantes, acompanha o Homem desde a noite dos tempos. O primeiro a descrever os seus sintomas foi Hipocrates h√° 2.400 anos, mas sabemos que a¬†influenza¬†j√° estava presente antes. Desde ent√£o, os Orthomyxoviridae (a fam√≠lia da qual fazem parte os v√≠rus da gripe) sempre estiverem ao nosso lado. Pelo menos at√© agora, pois desde o aparecimento do Coronav√≠rus algo aparentemente mudou, de forma dr√°stica e repentina. Hoje, segundo os dados da OMS, o v√≠rus da gripe sobrevive apenas num punhado de Pa√≠ses da √Āsia, da √Āfrica e da Oce√Ęnia: no Ocidente desapareceu por completo, assim como na Am√©rica do Norte e na Am√©rica do Sul.

Ou desapareceu ou algu√©m continua a vender como “pandemia” algo que efectivamente apareceu (o v√≠rus da Covid-19 existe, que n√£o haja d√ļvidas) mas que entretanto perdeu boa parte da efic√°cia. Ou isso ou temos que acreditar numa esp√©cie de “milagre” que h√° poucos meses livrou a sociedade humana duma doen√ßa com milhares de anos.

Ah,n√£o, esperem, h√° outra poss√≠vel explica√ß√£o: distanciamento social e mascaras mataram duma vez todos os v√≠rus da gripe. Deve ter sido isso, sem d√ļvida.



Fonte: http://informacaoincorrecta.com

Siga e goste de nós:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Seguir por E-mail