O Presidente de Madagascar, Andry Rajoelina, pediu a todas as Nações Africanas que deixem a Organização Mundial da Saúde (OMS)

O Presidente de Madagascar, Andry Rajoelina, pediu a todas as Nações Africanas que deixem a Organização Mundial da Saúde (OMS) por causa da má fé da Europa em relação à África.

O presidente malgaxe diz que a Europa criou organizações com o desejo de os africanos permanecerem dependentes delas. A África encontrou um remédio contra o coronavírus, mas a Europa acha que eles têm o monopólio da inteligência e, por isso, estão se recusando a reconhecê-lo. É neste contexto que convido  todas as Nações Africanas a deixar as organizações internacionais para construirmos as nossas.

Rajoelina colocou sua reputação e credibilidade em risco, divulgando o medicamento como uma cura. Ele disse que cura o COVID-19 em pelo menos 10 dias.

“Ninguém nos impedirá de avançar – nem um país, nem uma organização”, disse Rajoelina em resposta às preocupações da OMS.

Ele disse que a prova da eficácia do tónico estava na “cura” de “nossos pacientes”.

Ele chamou o medicamento de “remédio preventivo e curativo”.

Rajoelina disse que Madagascar até a data relatou 212 infecções por coronavírus e 107 recuperações.

O país tem um caso crítico, mas nenhuma morte.

“Os pacientes que curaram não usaram outro produto que não a Covid-Organics”, disse o presidente, acrescentando que seu país tem uma história de medicina tradicional.

“E se esse remédio tivesse sido descoberto por um país europeu, em vez de Madagascar?”, Rajoelina perguntou à OMS e a outros cépticos.

“As pessoas duvidariam tanto? Acho que não ”, disse Rajoelina à FRANCE 24 e à RFI.

A bebida é derivada da artemísia – uma planta com propriedades anti-maláricas comprovadas – e de outras ervas indígenas.

“Qual é o problema com a Covid-Organics, realmente?”, Ele disse.

“Será porque este produto vem da África?”

“Será que não é bom para um país como Madagascar, o 63º país mais pobre do mundo… ter apresentado essa fórmula que pode ajudar a salvar o mundo?” perguntou Rajoelina.

“Meu país, Madagascar, deixa todas as organizações hoje à noite e apelo a outras nações africanas para que façam o mesmo.”

 

A Nigéria não pediu cura a Madagascar, eles nos deram!

Ainda relativamente a esta notícia de referir que na Nigéria, o presidente da PTF (Presidential Task Force) para o Controle do Coronavírus (Covid-19) Boss Mustapha rejeitou especulações de que a Nigéria poderia ter pedido a Madagascar um suprimento de seu COVID-19 orgânico, em vez de promover pesquisadores locais para a cura.

 

Ele disse: “A questão de Madagascar. Deixe-me explicar que a Nigéria não pediu a Madagascar nenhuma solução. Isso tem que ficar muito claro, porque eu vi algumas narrativas por aí dando credibilidade a uma linha da história.

 

Isso para mim é apenas uma distracção. A Nigéria não perguntou.

O governo de Madagascar decidiu transportar quantidades destinadas a países africanos e, portanto, a África Ocidental foi transportada de avião para a Guiné-Bissau. Assim, todos os membros da CEDEAO têm as suas mercadorias descarregadas na Guiné-Bissau e essa foi a que me referi, que estávamos fazendo arranjos para evacuar.

Mas a impressão lá fora foi como se tivéssemos abandonado soluções domésticas e estivéssemos procurando uma solução malgaxe. Nós não pedimos, mas foi tomado no espírito de amor fraternal ou amor fraterno africano.

Pedimos ao nosso embaixador lá para estabelecer a localização, a quantidade etc. Ele fez isso. Temos que fazer um arranjo para o frete da Guiné-Bissau. Não há voos, então há tantas coisas que devemos considerar.
A Nigéria não pediu cura a Madagascar, eles nos deram!”

Siga e goste de nós:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *